Cooperativas de crédito: um banco diferente

SICOOB destaque

Além das instituições convencionais, destacam-se as chamadas cooperativas de credito, que embora muitos não saibam, hoje, mais 10 milhões de pessoas em todo o país fazem parte de cooperativas de crédito. E descubra porque.

 

E no momento difícil que o mundo atravessa em consequência da COVID19, profundas mudanças estão se processando em todos os segmentos do gênero humano. Na forma de comprar, na forma de vender, de se locomover, de se relacionar. Além das questões de saúde, a economia do planeta entrou em parafuso, atingindo, naturalmente, os pequenos e médios empresários. Nesse momento, cresceu mais ainda, a importância das instituições de créditos, sejam no momento de pagar os auxílios proveniente dos governos, seja no apoio às atividades chamadas de “não essenciais”.

Além das instituições convencionais, destacam-se as chamadas cooperativas de credito, que embora muitos não saibam, hoje, mais 10 milhões de pessoas em todo o país fazem parte de cooperativas de crédito. Além desse montante de cooperados, quase 70 mil pessoas trabalham para as 909 cooperativas de crédito brasileiras registradas.

Sobre o Sicoob – Instituição financeira cooperativa, o Sicoob tem mais de 5 milhões de cooperados e está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. Oferecendo serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, adquirência de meios eletrônicos de pagamento, dentre outras soluções financeiras, o Sicoob é a única instituição financeira presente em mais de 300 municípios. É formado por mais de 370 cooperativas singulares, 16 cooperativas centrais e pelo Centro Cooperativo Sicoob (CCS), composto por uma confederação e um banco cooperativo, além de processadora e bandeira de cartões, administradora de consórcios, entidade de previdência complementar, seguradora e um instituto voltado para o investimento social. Ocupa a segunda colocação entre as instituições financeiras com maior quantidade de agências no Brasil, segundo ranking do Banco Central, com 3.480 pontos de atendimento. 

Presente em 1.923 dos 5.568 municípios do País, e única Instituição financeira em 307 desses municípios, o volume de ações de crédito alcançado por Sicoob e Sicredi coloca o sistema de cooperativas à frente de instituições financeiras públicas e privadas. Uma das possíveis justificativas para a maior facilidade na obtenção de créditos nas cooperativas pode estar na natureza jurídica dessas instituições. Diferentemente dos bancos tradicionais, focados no lucro, as cooperativas têm como objetivo geração de valor para todos os cooperados. Se a cooperativa for do tipo livre admissão, qualquer pessoa física ou jurídica pode fazer um pedido para compor o quadro de associados. Além disso, as cooperativas oferecem toda a segurança nos processos, que seguem as normas do Banco Central e ofertam burocracia reduzida e juros menores que o mercado comum. Para se associar a uma dessas cooperativa, o investimento inicial varia entre R$25 Reais e R$250 Reais.

Segurança – Pela falta de informação sobre o funcionamento das cooperativas, muitas pessoas têm o receio de participar e perder dinheiro. No entanto, participar de uma cooperativa é tão seguro quanto ser cliente de um banco. Isto é, os bancos são protegidos até R$250 mil pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Ou seja, caso seja decretada a falência, é assegurada a restituição do valor por CPF e instituição. As cooperativas também possuem um fundo garantidor. O FGCOOP é o Fundo Garantidor das Cooperativas e funciona no mesmo formato. Garante o valor máximo de R$ 250 mil por CPF em caso de quebra da cooperativa.

Reconhecido no XIX Prêmio Efinance, realizado pela revista Executivos Financeiros em junho de 2019, o Sicob recebeu entre outros, na categoria Gestão de Risco, o reconhecimento pelos cases “Métodos eficientes ao combate à fraude”, “Cooperativismo dando show na Prevenção à Lavagem de Dinheiro” e “Processo de Classificação e Atribuição Automática de Limites”. No Sicoob, dependendo de seu porte e perfil, pessoas físicas podem abrir conta, ter cartões de crédito nacional e internacional, tomar empréstimos, entrar em consórcios, fazer operações de câmbio e investir em opções como previdência privada, renda fixa e até as chamadas Letras de Crédito do Agronegócio (LCA). Empresas também podem ter acesso aos investimentos, levar sua folha de pagamentos para as cooperativas, ter as populares maquininhas de cartão e oferecer vale-refeição aos seus funcionários. Representantes do sistema cooperativo e economistas ouvidos afirmaram que a grande diferença das cooperativas é que elas não visam ao lucro e, por isso, podem oferecer juros menores às pessoas e às empresas. Como os cooperados são “donos do negócio”, os resultados financeiros, que são chamados de “sobras”, e não de lucro, podem ser divididos anualmente entre eles a partir de decisão em assembleia.

A agência do Sicoob em Euclides da Cunha, por exemplo, ligada à Sociedade Cooperativa de Crédito Coopere Ltda. Sicoob Coopere, que foi fundada há quase 30 anos e tem na presidência do Conselho de Administração a senhora, Maria Vandalva Lima de Oliveira, atua com uma equipe enxuta de apenas 7 funcionários. O gerente Uilson e seus auxiliares, Pedro, Fabiana, Cristiane, Laila, Luana Oliveira e Luana Gama conhecem pelo nome, quase todos os associados (em vez de clientes mo são chamados nos bancos convencionais), criando um clima de mutua confiabilidade.

 

Em depoimento a VB, o empresário Betão Canário´, proprietário de uma distribuidora de alimentos, afirmou que utiliza os serviços do Sicoob em Euclides da Cunha desde a fundação da agência. Segundo ele, além do ambiente confortável e bom atendimento que recebe de todos os funcionários, gosta da quase nenhuma burocracia, a agilidade nas tomadas de decisões por parte da gerência e destaca a praticidade do aplicativo. “É melhor do que o dos outros bancos”, ressalta.

 

 

Curiosamente, o empresário e vitivinicultor, Renato Savaris, sócio proprietário da Maximo Boschi, uma premiadíssima vinícola que produz vinhos altamente sofisticados em Bento Gonçalves – RGS, a 3 mil quilômetros de distância, faz referências similares às ouvidas sobre a agência de Euclides da Cunha. “Ali pelo ano dois mil, nós tínhamos conta em um dos maiores bancos d o País. Ocorre que resolvemos partir para uma ampliação e esse banco ficou nos enrolando, prometendo um empréstimo com juros baixos que nunca saía. Um dia, nos sugeriram abrir uma conta no Sicoob. Fui lá e rapidinho com muita objetividade e pouca burocracia, fomos atendidos. É tudo muito tranquilo, a tecnologia deles é mais avançada do que a dos outros bancos e tem tudo que o outro banco tem”. Afirma entusiasmado.

                                                                            Por Celso Mathias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mantenha-se informado

Notifications    OK No thanks