FORRÓ NO CIRCO

sábado, 2 de maio de 2009

A proposta de fazer toda sexta-feira no Circo Picolino, um encontro de manifestação da cultura nordestina está se transformando no sucesso da estação. Lá, o mote principal é o forró pé de serra, pilotado por Gereba, grande compositor e músico baiano, sem, contudo desprezar outras manifestações artística/culturais em outras linguagens, como a dança, representada pela quadrilha; o cinema, com exibições de curtas relacionados à produção cultural nordestina; o folclore...

FORRÓ NO CIRCO

 




... com pequenas intervenções de mostras folclóricas como o bumba meu boi, o reisado, o nêgo fugido e, como não poderia deixar de ser, a culinária, representada pelos quitutes típicos das festas juninas.

Querido e respeitado por uma legião de amigos e parceiros no meio artístico, Gereba tem levado e vai continuar levando ao seu espaço, a participação de “feras”, como o trovador e repentista Bule Bule, Aldemário Coelho e talentos da cena nova do Forro como grupo de meninas do Clã Brasil. Na próxima sexta feira dia 08, está confirmada a presença de Targino Godin. Dia 15, será a vez de Xangai

O evento terá início sempre às 20h, com apresentação de um curta/documentário trazendo imagens históricas de mestres como Luiz Gonzaga, Dominguinhos e Jackson do Pandeiro e também de manifestações da cultura popular. Em seguida, entra em a banda de forró pé de serra “Quebra Gereba”.

O forró no Circo, mas que uma festa, busca ser um ponto de encontro do forró, onde se reúnem pensadores, artistas, filósofos, estudantes e todas as pessoas que querem vivenciar um pouco da cultura nordestina

O forró, é uma das mais fortes manifestações culturais do nordeste, congrega em torno dele outras tantas manifestações, como a culinária, a dança, o folclore, etc. O circo é um espaço lúdico, de manifestação artística livre e de natureza mambembe. A união dessas características atribui ao projeto um vigor e uma qualidade peculiar e extremamente fascinante.  



No espaço, a cada noite um município baiano será homenageado e terá a oportunidade de fazer ali o lançamento das festas juninas de sua cidade, estabelecendo assim, um intercâmbio cultural entre capital e interior. O município homenageado apresentará um pouco da sua produção cultural e poderá interagir com o público da capital.



O Circo Picolino foi transformado em um verdadeiro arraial, com jeitinho de interior. Tudo isso, é claro, regado um legitimo licor, sem esquecer a cervejinha gelada e o cardápio delicioso do Butiquim Marimpim.

 

SERVIÇO:

Toda sexta, às 20h

No Circo Picolino (Pituaçu)

Com a banda “Quebra Gereba” e convidados

Valor: R$15,00


Autor: Celso Mathias
Publicação vista 1845 vezes


Existe 2 comentários para esta publicação
terça-feira, 5/5/2009 por Elian Cruz
ESQUENTA FORRO DO BAIRRO COROA DO EIO
Excelente ideia para difundir a cultura nordestina. Nós aqui e sergipe temos um seelhante que ve se arrastando desde de 2003, não temos ajuda do poder publico mas, pelo amor a arte, resgatar a cultura e elevar a auto estima, nos fortalece.
segunda-feira, 4/5/2009 por Iraildes Mascarenhas
Quebra Gereba e Convidados
Excelente projeto para difundir a beleza da música das manifestações nordestina. E os artistas maravilhosos, o supra-sumo das festas juninas.
Enviar comentário


Confira na mesma editoria:
A "arte" da deselegância
A "arte" da deselegância
A volta aos anos 60
A volta aos anos 60
Copyright 2014 ® Todos os Direitos Reservados.